Ghouls’n Ghosts Mega Drive

Ghouls’n Ghosts (大魔界村 Daimakaimura, lit. “Grande Vila do Inferno”) é um jogo de plataforma realizado pela empresa fabricante de jogos eletrônicos Capcom lançado em 1988 para arcade. É a sequência de Ghosts’n Goblins e predecessor de Super Ghouls’n Ghosts (Super NES) e Ultimate Ghosts’n Goblins (PlayStation Portable).

Sinopse

O cavaleiro Arthur (que não tem ligação alguma com o Rei Arthur da mitologia bretã) precisa enfrentar novamente um vasto exército de monstros, fantasmas e demônios para salvar a princesa Prin-Prin (chamada de princesa Tamara nos manuais das versões de 8 bits), aprisionada no castelo de Lucifer (chamado de Loki em algumas versões) e as almas roubadas por ele.

Jogabilidade

Mantém o sistema de controles de seu antecessor, com pulos que não podem mudar de direção depois que o herói já saltou, e várias armas com poder de ataque e alcance diferentes. Uma adição é a armadura dourada, que garante a Arthur a chance de um “ataque carregado”, mais poderoso que o comum. Assim como seu antecessor, Ghouls ‘n Ghosts precisa ser terminado duas vezes para que o jogador possa ver o final verdadeiro.

Sonic Frontiers: SEGA confirma que jogo terá legendas em português

Após os fãs brasileiros realizarem uma campanha nas redes sociais, a SEGA confirmou oficialmente que Sonic Frontiers, próximo jogo principal da franquia do ouriço, terá legendas em português do Brasil. O anúncio foi feito no Twitter oficial da franquia Sonic.

Trecho do game: Sonic Frontiers

Dentre os idiomas revelados, o idioma chinês (simplificado e tradicional) e coreano estarão disponíveis apenas em consoles Xbox e no PC.

Nos últimos anos, a SEGA vem mostrando que está atenta a opinião dos fãs, com a mudança de design do Sonic nos cinemas e o recuo em relação ao mercado de NFTsSonic Frontiers tem lançamento previsto para o fim de 2022 para Nintendo SwitchPCPS4PS5Xbox One Xbox Series X/S.

Capcom promete novidades para celebrar os 35 anos de Street Fighter

Lançado originalmente em 1987 para os arcades japoneses, Street Fighter marcou época e é considerado um dos maiores nomes dos jogos de luta. Em 2022, a franquia celebra 35 anos de existência, e a Capcom já se prepara para revelar novidades — começando pela atualização do logo oficial.

Em publicação no Twitter da conta americana, a publisher compartilhou o novo logotipo, que vem escrito “35th” com uma arte que remete às capas clássicas. A conta japonesa também divulgou a novidade, mas fazendo um aceno para futuras atualizações.

Comemoração dos 35 anos

Street Fighter celebrará seu 35º aniversário em 2022. Criamos um logotipo para comemorar o 35º aniversário com nossos apoiadores.

Aguarde por novidades sobre o futuro desenvolvimento da série Street Fighter.

Conta oficial do Street Fighter

A Capcom ainda faz mistério sobre a próxima empreitada relacionada à franquia, mas alguns devs sugeriram em novembro que Street Fighter 6 pode ser revelado este ano.

Streets of Rage, clássico do beat ’em up, comemora 30 anos!

Apesar de o gênero beat ‘em up ter dado uma certa sumida do radar quando os video games começaram a investir em aventuras tridimensionais, lá nos tempos dos fliperamas e consoles 16 bits ele contava com alguns dos nomes mais badalados da indústria.

Até as Tartarugas Ninjas e Simpsons, os desenhos mais populares da época, brilhavam muito nesses jogos de scroll lateral em que a ideia era gastar muitas fichas ou vidas tentando socar o seu caminho até o próximo chefão. Além da Konami, que lançou essas adaptações, outras grandes produtoras como a Capcom também descobriram o potencial do formato bem cedo, nos agraciando com clássicos como Final Fight, assim como a SEGA, outra das pioneiras do ramo.

Streets of Rage, uma das séries mais queridas dos videogames, nasceu em agosto de 1991 no Japão. Bare Knuckle, como era conhecido por lá, chegou às Américas pouco depois, em outubro, com o título que todos amamos, e desde então ela é lembrada como uma das melhores e mais icônicas séries de pancadaria já feitas.

Tudo isso graças ao seu elenco de lutadores carismáticos, desafio sob medida, boa variedade de inimigos e golpes, além de uma trilha sonora absolutamente arrebatadora feita pelo mestre Yuzo Koshiro.

Uma trilogia impecável

A grande sacada do time de desenvolvimento foi criar oito fases muito únicas e bem pensadas, além de caprichar no carisma dos heróis Adam, Axel e Blaze, sendo sempre possível curtir tudo com dois jogadores simultâneos.

Cada um dos personagens podia usar um ataque especial próprio pedindo ajuda para uma viatura da polícia, que prontamente eliminava todos os inimigos na tela, ou então pegar alguns objetos do chão e usá-los como arma. Uma verdadeira “mão na roda” para abrir caminho até Mr. X, o temível chefão final não só aqui, mas em toda a franquia.